Invisível

Tenho andado a adiar este post, nem sei bem porquê. O título diz tudo. Sinto-me invisível. Mas não me sinto invisível para os outros, que pouco me importam sinceramente. Sinto-me invisível para o Hugo. Há momentos em que julgo que mesmo que me vestisse de dourado ou prateado ele não ia notar a minha presença. Mas por que é que eu estou a dizer isto tudo?! Pois bem, na Quinta-feira passada eu tinha acordado mesmo tarde. Não tinha grande coisa para comer em casa e precisava de almoçar. Resolvi ir ao supermercado. No caminho e já a chegar ao local, ao atravessar a estrada, vejo o Hugo quando íamos na passadeira! Antes de olhar para o rosto dele, imediatamente antes, senti que era ele. Não sei como explicar o que senti, mas foi isso. Ele ia acompanhado por um amigo, e iam com sacos do mesmo supermercado para onde eu me dirigia. Coincidência numa Lisboa tão grande, não? Eu continuo a encontrar-me com ele e nunca vou compreender isto! Não tenho capacidade de compreender o motivo disto acontecer comigo. Eu ia vestido de preto e verde, e até sou uma pessoa vistosa, mas ele nunca olhou para mim naquela ocasião. É horrível. Sou invisível para a pessoa de quem mais gostei na minha vida toda. É trágico, mas é a realidade. Depois daquele pequeno episódio, resolvi fazer mais uma das minhas. Eu ia a falar ao telemóvel com uma amiga, e aquela situação distraiu-me muito. Mesmo assim surgiu-me subitamente a ideia de segui-los. Foi a segunda vez que o fiz. Fui seguindo, a armar-me em agente secreto, de telemóvel na mão que até ajudou a disfarçar mais. Qualquer das formas, ele nunca me ia notar. Sou invisível aos olhos dele. Chegando a uma travessa deixei de o avistar. Talvez tenha dado uma distância de avanço demasiado grande. Mas não interessa. Fiquei com a sensação de que ele morava ali para aqueles lados. E ironia do destino, fica só a uns quarteirões da minha casa. Nunca vou compreender o que me foi acontecer, como me fui apaixonar por ele, como ele me rejeitou, como estes encontros continuam a acontecer, tudo. Ele que não me peça para o esquecer quando é dele que eu gosto, quando ele continua a aparecer-me à frente de tempos em tempos, quando foi ele que foi estudar para a faculdade onde eu já estudava, quando fui eu avançar com os meus estudos para a mesma faculdade onde ele foi prosseguir com os dele, quando ele mora relativamente perto de mim. Eu sou apenas um ser humano, cheio de imperfeições tal como ele. Não escolhi isto. E por mais que aquele miúdo despreze o que sinto por ele trata-se somente um sentimento, e a coisa mais humana que já alguma vez senti.

Euforia

Apetece-me falar da minha euforia. Euforia, segundo todo e qualquer dicionário é um substantivo feminino. Certo dicionário diz que é um “estado emocional de excitação plena”, outro diz que se trata de uma “sensação de bem-estar, de satisfação; grande alegria”, outro revela que “euforia é um estado de emoção plena. Uma pessoa eufórica normalmente é muito activa e entusiasmada, ficando sempre ansiosa quando encontrada nesse estado” e outro diz ainda que euforia é uma “sensação fisiológica de bem-estar. ≠ disforia ”. Tenho isto tudo em conta, percebo que quando o Hugo esteve por perto, senti nervosismo, mas também senti uma euforia gigante! Senti o coração aos pulos, senti a pulsação acelarada, senti-me sem ar, senti vazio e completude ao mesmo tempo. Sinto uma euforia sempre que penso nele também.
Estava a ver as actuações do Festival Eurovisão da Canção (sou um grande fã) e “Euphoria” é incontornável. Não concordo com a vitória, não gosto da apresentação em palco, a Loreen não me cativa, mas a canção (mais concretamente a letra) é qualquer coisa - admito. As partes mais sossegadas, principalmente a última (02:07-02:21) - "Navegamos até ao infinito; Estamos mais alto; Estamos a chegar a uma divindade") - são excelentes. “Euphoria” fala da euforia que um amor traz às pessoas que o sentem, elevando-as a um extremo (presumo). Foi assim que eu me senti várias vezes, lá em cima nas estrelas, e por isso posso dizer que já senti EUFORIA. :)

O balão cor-de-rosa

Aquele balão cor-de-rosa não me sai da cabeça. Nesta quinta-feira teve lugar um dos episódios mais peculiares de que tenho memória. Uma coisa que até podia ser banal, mas que para mim teve um significado especial. Final de tarde agitado, como é hábito em Lisboa. Eu estava a dirigir-me para o metro. Ia a passar numa avenida. Quando chego perto de uma intersecção, com semáforos, muito movimentada deparo-me com um balão que por ali vagueava na estrada. Era cor-de-rosa. Com o vento causado pelos carros que passavam, ele não parava de rebolar e voar. Não sei, mas houve ali qualquer coisa que me despertou a atenção. Criei uma ligação com aquele balão naquele momento. E torci por ele. Um balão que estava perdido, no meio de uma confusão e nada nem ninguém lhe prestou atenção. Era como se ele estivesse sozinho, cheio de gente à volta, e prestes a explodir. É como eu me sinto. Deve ser por isso que aquela situação me cativou tanto. Eu só pensava que o balão ia rebentar a qualquer momento. Era carro atrás de carro e ele persistia. Nunca desistiu até que pousou no passeio dos peões. Eu não conseguia deixar de observar aquela situação. Só queria olhar para trás e ver o balão. E lá ficou ele, são e salvo num jardim até que o deixei de avistar. Esta história, à partida, seria insignificante, se eu não estivesse a passar pelo que estou a passar na minha vida actualmente. Mas aquele balão representou muita coisa para mim. Era rosa e eu já aqui assumi no blogue – post “Azul & Rosa” – que uma parte de mim é rosa, a minha identidade de género, a minha vulnerabilidade enquanto pessoa. Depois, era um simples balão, altamente propício a desaparecer de um momento para o outro. E no entanto, tal não aconteceu. Ele superou aqueles obstáculos todos. Eu não consigo parar de pensar nisto. A sério. Penso que se aquele balão ultrapassou todas aquelas barreiras, desafiando todas as probabilidades, eu também hei-de conseguir. Ponho-me a pensar: porque não enfrentar o Hugo de uma vez? O que eu tenho a perder? Se eu fosse um balão, e tudo corresse mal, rebentaria e acabava tudo. Mas não sou e haverá sempre um amanhã. Não há que ter medo daquilo que pode acontecer embora isso assuste, é claro. E portanto, dê por onde der, mesmo que tudo corra mal eu hei-de superar isto e sobreviver.

Frases sobre amor - Parte 6

"Fica-se enamorado quando se dá conta de que a outra pessoa é única." (Jorge Borges)


"Porque o fogo que me faz arder é o mesmo que me ilumina." (Étienne La Boétie)


"O coração tem razões que a razão ignora." (Blaise Pascal)

 "É muito melhor viver sem felicidade do que sem amor." (William Shakespeare)


"Em matéria de amor, o silêncio vale mais do que a fala." (Blaise Pascal)

"Amar é fazer pacto com a dor." (Julie Lespinasse)


"O amor: uma fonte que tem sede." (Marie Noel)


"Donde pode nascer o amor? Talvez de uma súbita falha do universo, talvez de um erro, nunca de um acto de vontade." (Marguerite Duras) 

"No amor somos injustos, porque supomos que o outro é perfeito." (Jean Paul)

"Viver sem amor significa realmente não viver." (Jean Molière)


"É melhor estar triste com amor, do que alegre sem ele." (Johann Goethe)

 "O amor é um sonho que chega para o pouco ser que se é." (Fernando Pessoa)

Meros desabafos

Quanto mais racional tento ser, menos consigo. Este assunto desgastou-me de tal modo que já nem consigo tomar nenhuma decisão, por não ter força para isso. Ando em cima do muro há meses, sem saltar para nenhum lado. Não sei o que fazer. Não sei se insisto ou desisto. A verdade é que já estive mais convicto em prosseguir, mas também não quero ficar por aqui. O Hugo criou as regras do jogo à sua vontade e eu perdi. Contudo, foi legítimo da parte dele. Quem se meteu no caminho dele fui eu e não o contrário. Só tenho é que aguentar. Acho que é por isso que não consigo ganhar-lhe raiva de maneira nenhuma. Não consigo odiá-lo. Deve ser porque isto que sinto é mesmo autêntico. Está tudo ao contrário na minha vida. Desde a minha existência até à minha essência. E acabo por deixar as minhas inseguranças e hesitações estragarem tudo. Tenho é de enfrentar aquilo que realmente sou e dizer as coisas como elas são. Eu não tenho apenas uma orientação sexual que foge à "regra". Eu tenho um transtorno de identidade de género e não tendo sido eu a escolhê-lo, tenho de saber lidar com isso. É um assunto que me envergonha imenso, mas não posso fazer nada. Andei anos a ignorar o que me diziam e agora consigo enxergar aquilo que sou mesmo. Quando aquele amigo me disse que não compreendia o que ia na cabeça das mulheres nem na minha percebi que eu não era como os rapazes. Percebi que havia algo que não batia certo. Percebi que a minha mente não encaixava no meu corpo. Percebi, mas fingi não perceber durante anos, que tenho uma mente feminina a comandar um corpo masculino. :S E isso foi-me atribuído, não foi uma escolha. E há gente que insiste em ignorar isso, e protegem-se, daqueles que são diferentes, atrás de uma cortina de preconceito. Também me foi sugerido em tempos que eu encontrasse um rapaz bissexual para me completar, que só um homem que também se sentisse atraído por mulheres poderia ser compatível com a minha personalidade e desejos. Eu era tão novo, que ignorei tudo. O resultado foi uma vida amorosa desastrosa. Em termos amorosos sou um desastre. E na única vez que me apaixonei verdadeiramente foi por um rapaz que não me percebe, que foge de mim como se eu fosse sei lá o quê. Não consigo compreender por que é que tal coisa tinha logo de acontecer comigo, eu que nunca fui vil, que nunca prejudiquei ninguém em toda a minha vida. Vivo escondido na escuridão, a fugir do destino, com um medo constante do que possam pensar de mim por onde eu passo. Eu ponho-me a pensar e eu nem sei bem o que sou realmente. Por dentro, é como se estivesse a lutar comigo mesmo. A tentar matar aquilo que não quero ser, a tentar esconder a todo o custo o que sou, mas que é aquilo que tenho de ser. Esta luta interna, esta vergonha, esta desilusão amorosa, isto tudo está a acabar comigo. E isto não é drama. Eu fico cada vez mais com a sensação que ninguém me percebe, mesmo aqueles que me estão próximos. Ninguém me percebe, porque eu sou uma excepção (para não dizer aberração) da sociedade. Eu olho para o Hugo e ele é tudo o que se deve ser: o rapaz típico, bonito, inteligente, culto, heterossexual e por aí fora. Eu não sou nada disso. Nem nunca vou ser. Vou ser sempre considerado menos do que os outros. E só Deus sabe porque sou esta pessoa de plástico que sou hoje, que vive de marcas, luxos, futilidades, etc. Porque eu nunca ia aguentar ser considerado um verme. Tive de construir uma muralha. Só assim consegui atenuar os meus medos. E depois penso que quanto mais quis ser importante para ele, que quanto mais quis marcar presença, que quanto mais quis fazer a diferença, menos representei para ele. Acabei por ser um zero à esquerda. Zerinho! Eu continuo com tanto por dizer. Tenha tanta coisa entalada aqui dentro, mas agora não consigo dizer mais nada.

Maldito atraso

Eu era para ter elaborado este post no próprio dia, mas a situação perturbou-me de tal forma que até fugi do blogue. No entanto, vou ter de contar. Vou ter de contar de tão surreal que isto parece. Era terça-feira (dia 24), véspera de feriado. Eu senti um cansaço anormal e decidi ir descansar. Fui dormir uma sesta sem me lembrar que tinha uma aula reagendada para esse dia uma vez que não a ia ter na quarta-feira - feriado. Acordei às 6h da tarde, e lembrei-me que tinha aula. Fui a correr para apanhar um autocarro (não gosto muito de conduzir, como já aqui disse) que ainda demorou a aparecer. Mal vou a chegar à faculdade, ainda dentro do autocarro, avisto logo o Hugo com duas pessoas, nas imediações da universidade. Eu ia ao telemóvel e só pensava "isto não me está a acontecer, mais uma vez!" Não tinha escapatória possível. Para entrar na faculdade, tinha de passar muito perto deles. Foi horrível para mim, é sempre horrível. É horrível porque eu fico uma pilha de nervos quando ele está por perto. Quando vou a entrar dentro do edifício, olho para trás e deu-me a sensação que ele estava a olhar na minha direcção, embora possa ter sido imaginação da minha cabeça. Ponho-me a imaginar se houve a mínima hipótese de ele me ter seguido com o olhar por alguns instantes.. O que me deixa sei lá como. Não prestei grande atenção à aula, como era expectável. O professor, no fim, até veio perguntar-me se eu tinha captado alguma coisa (tal devia ter sido a minha distracção, digo eu). Moral da história: maldito atraso. Eu nunca tinha ido para a uma aula àquela hora e justamente na primeira vez que aconteceu lá estava ele, sentado, a ver-me passar. :O Há coisas que parecem de propósito. Até irrita e dá-me medo. Andámos na mesma faculdade alguns anos e eu tive de aguentar aquilo. Ele acabou o curso e foi para outra faculdade. Eu acabei o curso e fui para a mesma faculdade. Enfim, o resultado está à vista. Estou a viver tudo de novo. :S

Em desespero

Há meses que não vertia uma lágrima. Bloqueei os meus sentimentos de uma forma, tal era o estado gélido da minha alma, que não conseguia sequer chorar. Hoje tive um momento súbito alagado em lágrimas. E não é nada bom sinal nesta altura. O tempo passa. E já passou tanto tempo que para mim é difícil de acreditar. Daqui a um mês vão fazer dois anos que contei ao Hugo o que sentia. Dois anos!!! Ando nesta tristeza misturada com vergonha e desilusão há dois anos. Abdiquei de tantas coisas (reduzi as minha saídas, afastei-me de não sei quantas pessoas) que até me faz pensar que sou uma outra pessoa. Quero e continuo a respeitar os meus ideais, os meus princípios, que parece que acabei por parar no tempo. Ser honesto comigo e para com os meus sentimentos tirou-me muita coisa de mim. Roubou-me a vontade do quer que seja. A cobrança foi alta. Dei e continuo a dar voltas à cabeça a tentar encontrar soluções quando elas simplesmente não existem. Mas eu ando a tentar enganar quem? Que frustração! Parei no tempo por causa desta paixão. Tenho a sensação de que estou cada vez a direccionar-me para a escuridão em vez de fugir dela. Sinto-me preso dentro de um filme de terror, mais do que um filme dramático. É desesperante quando queremos tanto algo que é impossível de alcançar. Mas fica tudo mais desesperante quando se muda de objectivo e mesmo assim é uma missão falhada. Primeiro, tentei chegar ao Hugo, aproximar-me dele, e foi um fracasso total. Depois, aceitando a realidade, tentei afastar os meus pensamentos dele e falhei outra vez. Não sei mais para onde me virar. Não estou mais bem em lugar nenhum. O desespero passou a ser a minha mais recente companhia - outrora foram a tristeza e a desilusão.

Frases sobre amor - Parte 5

"O amor é filho da ilusão e pai da desilusão." (Miguel Unamuno)

"Amar é fazer pacto com a dor." (Julie Lespinasse)

"Amar é cansar-se de estar só: é uma cobardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos)." (Fernando Pessoa)

"Como é insuficiente o coração humano! Um longo amor acaba por cansar." (Louise Ackermann)

"É muito melhor viver sem felicidade do que sem amor." (William Shakespeare)

"O coração tem razões que a razão ignora." (Blaise Pascal)

"O amor é uma bela flor à beira de um precipício. É necessário ter muita coragem para a ir colher." (Stendhal)

"Não há amor como o primeiro, mesmo que esse primeiro seja o último." (Vergílio Ferreira)

"O amor não se vê com os olhos mas com o coração." (William Shakespeare)

"É possível amar e não ser feliz, é possível ser feliz e não amar, mas amar e simultaneamente ser feliz, isso seria milagre." (Honoré de Balzac)

"Aqueles que têm coragem para amar deveriam ter coragem para sofrer." (Anthony Trollope)

"Vós, que sofreis, porque amais, amai ainda mais. Morrer de amor é viver dele." (Victor Hugo)

"O amor e a razão são dois viajantes, que nunca vivem juntos na mesma hospedaria: quando um chega, parte o outro." (Walter Scott)

A Minha Intensa Paixão - Volume 3

Olá! Resolvi elaborar mais uma selecção de canções. Esta é basicamente a música que mais me acompanha na actualidade, quando quero pensar um pouco sobre o que venho aqui contar no blogue.
Desta vez, não fazem parte apenas baladas. Escolhi algumas músicas mais animadas também. Ainda assim, cada faixa aqui tem um bocadinho de mim, do que sinto, do que penso. Escolhi cada faixa com muita atenção, porque a minha intenção foi partilhar canções que reflectissem as minhas emoções como um espelho que reflecte imagens. Quer isto dizer que cada canção aqui escolhida reflecte, em parte, os meus sentimentos ou a minha personalidade.

1. Mariah Carey - We Belong Together

Esta canção tinha de abrir o 3.º volume. Lembro-me perfeitamente de quando isto saiu, em 2005. Eu tinha 17 anos e não havia nada que me perturbasse até então. Recordo-me de ouvir "We Belong Together" durante as noites quentes que passei no Algarve, em Agosto daquele ano. Ia para a varanda e passava ali horas a observar as estrelas e lua. Foi como se já estivesse à espera de alguém, como se me tivesse apaixonado pelo futuro, por alguém que ainda estava por vir. Hoje, esta canção faz 100% sentido para mim. E torna-se até estranho para mim, porque eu senti ali coisas que sinto agora, mesmo antes de terem acontecido, enquanto a ouvia naquela altura. Há uma porção de versos que me dão volta à cabeça de tão certos que para mim são: "Quem vai ficar no teu lugar?, Não há ninguém melhor".

2. Linkin Park - Shadow of the Day

Os Linkin Park são a minha banda favorita (não consigo fazer um desempate entre eles e os Coldplay), desde 2003. Aprecio deveras as 'rockadas' deles para desanuviar, mas são as músicas calmas que me suscitam maior interesse e ultimamente eles tão andado mais por esse terreno. Num volume anterior eu partilhei "Leave Out All the Rest". Agora é a vez de "Shadow of the Day", uma canção sobre despedida, separação. "Às vezes os começos não são tão simples; Às vezes o adeus é o único jeito." Esta canção faz-me pensar tanto! Fiquei com medo daquele adeus que me foi dito por ele, tão friamente. Fiquei com medo que tenha sido definitivo. O meu mundo explodiu, desmoronou, desde então, como se tivesse ficado em pó: "E a sombra do dia, Irá envolver o mundo em cinza".

3. Enrique Iglesias & Jennifer Lopez - Mouth 2 Mouth

"Mouth 2 Mouth" é um dos momentos descontraídos desta selecção. A música é super sensual e misteriosa, além de que o Enrique e a Jennifer são dois dos meus cantores favoritos. Basicamente, a canção fala de uma paixão e dependência tão fortes que só um "boca a boca" (um beijo, por outras palavras) salvaria a pessoa em apuros. Adorei, logo na primeira audição. É uma música nocturna.

4. Timbaland & One Republic - Apologize

O sentimento de culpa assombrou-me por muito tempo. Houve uma época, logo após eu ter contado ao rapaz o que sentia, que senti uma grande culpa pelo que eu era, pelo que eu sentia. A partir de então, esta música (que fala sobre perdão) começou a fazer todo o sentido para mim (apesar de já a conhecer antes).

5. Adam Lambert - Whataya Want From Me

Esta balada pop rock é potente! A Pink é uma excelente compositora e esta canção prova-o (coloco à disposição a versão dela, como faixa bónus no fim). A canção tem versos que me assentam que nem uma luva ("Apenas não desistas, Eu estou a empenhar-me"; "Por favor não cedas, Eu não te vou decepcionar"; "Mas acho que podias salvar a minha vida" - acontece quando depositamos toda a confiança em quem amamos). Essencialmente, fala sobre uma pessoa querer manter aceso o interesse de outra, quando já não sabe o que ela quer mais. Eu senti o mesmo inúmeras vezes: não sabia o que poderia fazer mais para conseguir despertar o interesse e atenção do rapaz.

6. Usher - Climax

Esta é a canção mais recente da selecção. O Usher voltou às suas baladas extraordinárias. Esta balada sedutora é um clímax em si mesma de tão excelente que é. Fala sobre chegar-se a um extremo, que não tem solução. "Não há como voltar atrás, É tarde demais; Alcançámos o clímax". Identifiquei-me com isto porque também tive a sensação que atingi o meu limite, que não há mais volta, que é uma causa perdida, que tudo o que eu tivesse feito teria sido em vão. :(

7. Daniel Bedingfield - If You're Not the One

Esta belíssima balada pop tem quase uma década, mas a sua mensagem é intemporal. Recordo-me perfeitamente de ser criança, quase um pré-adolescente, e de ouvir isto na rádio sem compreender bem a mensagem (dados os meus fracos conhecimentos em inglês naquela época). Mas sentia-me envolvido pelo ambiente que a canção criava. Hoje compreendo bem o que ouço aqui, e isto é a minha - passo a expressão - 'cara chapada'. Tendo em conta todo o meu medo e dúvida causados pela minha paixão, este verso é apropriado: "Eu não quero fugir mas eu não aguento, eu não entendo".

8. Leona Lewis - Bleeding Love

Uma das canções que mais ouvi durante a licenciatura. Mais para o final, tornou-se praticamente um hino para mim, por razões óbvias. A balada é imponente e a letra comovente. Ajusta-se ao que eu mesmo poderia dizer: "Mas eu não me importo com o que dizem, Eu estou apaixonado por ti; Eles tentam afastar-me, Mas eles não sabem a verdade; O meu coração está danificado pela veia, Que eu continuo a fechar; Tu cortas-me e eu, Continuo a sangrar, Continuo a sangrar amor". "Bleeding Love" relembra-me muita coisa. Marcou definitivamente uma era na minha vida. Cada vez que a ouço sou imediatamente transportado para aqueles tempos. Não me faz bem, mas também não posso dizer que me faz mal. É a minha vida e não há nada que vá apagar o meu passado.

9. Pitt Broken - For a Change

Descobri recentemente esta canção através da RFM e fiquei maravilhado por saber que pertence a uma banda portuguesa. O refrão é poderoso e a voz do vocalista ajuda muito. O tema é sobre mudança e eu bem sei o que isso é e do quanto preciso.

10. Adele - Someone Like You

Esta canção é altamente irónica. Elogia-se de tal forma a pessoa que se ama, sugerindo-se a procura de alguém semelhante. A verdade é que as pessoas são únicas. Quando nos apaixonamos por alguém, se aquilo for autêntico, então não há nada nem ninguém que substitua essa pessoa nem aquilo que sentimos por ela. "Someone Like You" foi a minha companhia noites a fio nos últimos meses. É daquelas músicas amargas que me dão vontade de chorar um rio de lágrimas.

11. Kylie Minogue - On a Night Like This

"On a Night Like This" é provavelmente o meu som preferido com influências dance. É sedutor. Sempre que ouço isto dá-me vontade de olhar-me ao espelho e tirar fotografias tal é o efeito. :D Tornei-me fã da Kylie por volta do ano 2000. Foi engraçado, aliás. Eu tinha ido ao Estádio da Luz (devia ter uns 12 anos na altura) e passou no intervalo "Spinning Around" (que tinha sido incluída num CD qualquer do Benfica naquela altura) e então perguntei à minha mãe de quem se tratava e ela esclareceu-me. A partir de aí só queria ouvir mais material da Kylie e caí de amores por esta música instantaneamente. "Parece que te conheço desde sempre" - este verso corresponde a um pedaço da minha paixão. :O

12. Lenny Kravitz - Again

O Lenny além de um cantor talentoso, é um compositor espectacular. Nesta música ele fala de uma paixão que nunca antes tinha sentido. O verso "Fico a pensar se te vou ver outra vez" põe-me a pensar. Até eu me faço esta pergunta, quando penso no Hugo. A canção anda muito à volta da paixão e da incerteza que, no meu caso, parece que são muito amigas.

13. Hilary Duff - Come Clean

"Come Clean" faz uma metáfora curiosa. Seria mesmo mais fácil deixar a chuva resolver (enxaguar) tudo. Seria uma espécie de purificação, como a canção refere. O que a letra quer dizer, em sentido figurativo, é que se deve ser honesto com a pessoa que se ama, que não haja segredos, que se jogue limpe. Eu confesso ter falhado aqui. Deixei as minhas hesitações falarem mais alto, fugi, não esclareci nada como devia ser e deixei criar um mundo de dúvidas na cabeça (confusa) do Hugo. De qualquer forma, esta canção remete-me aos meus tempos do ensino secundário, tempos gloriosos, em nada parecidos com a minha trágica actualidade.

Bónus:

14. Pink - Whataya Want From Me

Foi muito agradável elaborar esta compilação. Estas canções estão carregadas de memórias e significado para mim. Desfrutem!

Download: A Minha Intensa Paixão - Volume 3

Frases sobre vontade

"Se resistimos às nossas paixões, é mais pela fraqueza delas que pela nossa força." (François de la Rochefoucauld)

"A palavra 'impossível' é uma expressão infeliz; nada se pode esperar daqueles que a usam frequentemente." (Thomas Carlyle)

"Nunca é demasiado tarde para ser aquilo que sempre se quis ser." (George Eliot)

"Quanto mais se quer, melhor se quer." (Charles Baudelaire)

"Ao querermos, enganamo-nos muitas vezes. Mas quando nunca queremos, enganamo-nos sempre." (Romain Rolland)

"Aquele a quem se permite actuar à sua vontade em breve baterá com a cabeça contra um muro de tijolos de pura frustração." (Robert Musil)

"Temos mais força do que vontade e é por isso mesmo que nos desculpamos imaginando que as coisas são impossíveis de atingir." (François de la Rochefoucauld)

"Onde há uma vontade forte, não pode haver grandes dificuldades." (Niccolo Maquiavel)

"Para que resulte o possível deve ser tentado o impossível." (Hermann Hesse)

"A vontade é cega, a dor é míope." (Ernst Junger)

"É erro vulgar confundir o desejar com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os." (Alexandre Herculano)

"A vontade é tão livre por natureza que jamais pode ser coagida." (René Descartes)

"Quem não sabe introduzir a sua vontade nas coisas, introduz nelas pelo menos um «sentido»: quer dizer, acredita que existe já ali dentro uma vontade (princípio da «fé»)." (Friedrich Nietzsche)

Frases sobre amor - Parte 4

"Os melhores momentos do amor são aqueles de uma serena e doce melancolia, em que choras sem saber porquê, e quase aceitas tranquilamente uma desventura que não conheces." (Giacomo Leopardi)

"O amor é um grande mestre, ensina de uma só vez." (Pierre Corneille)

"É difícil amar aqueles que não estimamos, mas é mais difícil ainda amar aqueles que estimamos mais do que a nós mesmos." (François de la Rochefoucauld)

"Contigo não posso viver, nem sem ti." (Marcial)

"É tolo quem se quer opor ao amor, como se pudesse lutar com ele." (Sófocles)

"Não há disfarce que possa esconder por muito tempo o amor quando este existe, nem simulá-lo quando este não existe." (François de la Rochefoucauld)

"Só uma palavra nos liberta de todo o peso e da dor da vida: essa palavra é o Amor." (Sófocles)

"O amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para sempre e vai crescendo dia a dia." (Honoré de Balzac)

"O amor é um modo de viver e de sentir. É um ponto de vista um pouco mais elevado, um pouco mais largo; nele descobrimos o infinito e horizontes sem limites." (Gustave Flaubert)

Frases sobre amor - Parte 3

"Nascemos para amar. O amor é o princípio da existência e o seu único fim." (Benjamim Disraeli)

"Amar bem é amar loucamente." (André Suarés)

"Muitas vezes o amado desencadeia a força lentamente acumulada no coração daquele que ama. O amor é uma coisa solitária. É esta descoberta que faz sofrer." (Carson McCullers)

"O amor é estarmos sempre preocupados com o outro." (Marcel Achard)

"O amor sem ciúme não é amor." (Paul Léautaud)

"Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor. No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma ideia nossa." (Fernando Pessoa)

"O amor é de uma natureza tal que quanto mais se ama mais se deseja amar." (Giovani Boccaccio)

"O amor arranca as máscaras sem as quais temíamos não poder viver e atrás das quais sabemos que somos incapazes de o fazer." (James Baldwin)

"O amor é dos que nele pensam." (Marcel Achard)

"A palavra exagero não existe no vocabulário do amor." (L. Crescenzo)

"Ser amado é passado; amar é durar." (Rainer Rilke)

"Por mais duro que alguém seja, derreterá no fogo do amor. Se não derreter é porque o fogo não é bastante forte." (Mohandas Gandhi)

"O coração não tem rugas." (Marie Sévigné)

"Muitos são os remédios que curam o amor, mas nenhum é eficaz." (François de la Rochefoucauld)

"O amor é uma tentativa de penetrar no íntimo de outro ser humano, mas só pode ter sucesso se a rendição for mútua." (Octavio Paz)

"Quando não se ama demais, não se ama o suficiente." (Roger Bussy-Rabutin)

"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal." (Friedrich Nietzsche)